Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2016

Desejos

Por Kleidianne Nogueira

Que a dor que sentes seja somente tua e que eu não ouse fingir que a carrego contigo.
Que a minha dor não te atrapalhe os passos, e que tu não te atrevas a ser hipócrita como os que dizem entender a dor alheia.
Que a minha tristeza te encoraje a buscar alegria e que a tua força me faça feliz.
Que nossos inimigos conheçam nossas faces e que sejam convictos de suas desavenças contra nós.
Que a covardia seja guardiã fiel da nossa paz e que as afrontas não movam nossas armas.
Que os nossos sejam repartidos e que os seus não se misturem aos meus.
E se entenderes o que tento dizer-te; se questionares, ou simplismente aceitares; guarda-o contigo, pois ao final de todas as palavras quero dizer-te o mesmo: amo-te. Não faço juras, nem promessas, mas amo-te muito.
E se também amas a mim, recosta teus desejos aos meus e ajuda-me com as palavras, que a elas pertencia o coração que a ti entreguei.

Sou pura inspiração

Por Kleidianne Nogueira

Lençóis bagunçados não contam histórias. Nem paredes rabiscadas. Nem pratos quebrados. Eu as conto. É meu prazer e dever. Mãos e pés atados, mas tenho voz.

Não. O mundo não me quis amordaçada pois o mundo achava que eu não tinha o que dizer.

As palavras buscam minhas frases soltas. Brincam de me conquistar. E tudo o que eu tenho é voz. Tenho lençóis bagunçados, paredes rabiscadas, pratos quebrados e voz. Tenho as palavras à minha volta e dentro de mim.

Não explico. Não critico. Não incito. Não problematizo. Dou voz às palavras que me conquistam.

Sou emoção a gotejar. Inspiração.