Pular para o conteúdo principal

"Depressão não é coisa de crente", por isso, vamos tratar.

Oi, amores!

Compartilho com vocês mais um texto baseado em experiências pessoais. Tema polêmico, título irônico e o bafafá foi gigante no Facebook. O tema me expôs, mas achei necessário para despertar outras pessoas que sofrem em silêncio. Precisamos falar sobre transtornos mentais no meio evangélico e ajudar a quebrar os preconceitos que aprisionam a muitos em vidas cheias de conflitos e solidão.



"Depressão não é coisa de crente", por isso, vamos tratar.
Por Kleidianne Nogueira.


Pelo menos uma dezena de transtornos mentais tem debilitado nossa geração. Um diagnóstico recente de sério agravo ao sistema nervoso me inclui. Se fôssemos verdadeiramente conscientes da graça maravilhosa e andássemos em comunhão plena com Deus, não haveria espaço em nossas mentes para nada além de paz e contentamento. Mas o IDEAL raramente é o REAL.

Em nossa imperfeição, deixamos que as aflições do mundo nos tornem indiferentes ao conselho de Cristo: TENDE BOM ÂNIMO! Perdemos o foco e, apesar de tentar desesperadamente andar com Deus, não enxergamos mais a vida como um exercício para a eternidade e sim como um castigo antecipado.

À medida que um transtorno mental progride, experimentamos a sensação de total descontrole. Temos consciência de que nossos problemas tem soluções possíveis, mas não conseguimos enxergá-las.

Quero encorajar você a procurar ajuda. Ao me expor, quero contribuir para a quebra do paradigma de que crentes/evangélicos não precisam ou não devem procurar tratamento para as doenças da mente porque "depressão não é coisa de crente".

Concordo. Não deveria ser. Mas agarrados a essa afirmação, alguns de nós deixam de procurar tratamento para uma DOENÇA. Estou certa de que uma vida ideal com Cristo pode manter nosso corpo e mente mais saudáveis, mas nós adoecemos.

Como um câncer de mama ou uma fratura do fêmur, além de orar pela cura, nós devemos procurar tratamento para um transtorno mental. Não deixo de honrar a Deus ao demonstrar minha fraqueza e procurar um terapeuta. Pelo contrário! Se esse terapeuta professar a mesma fé que eu, certamente estarei tratando o que me impede de adorar a Deus em espírito e em verdade.

Por isso, antes que percamos mais vidas por puro preconceito, façamos o seguinte:

👉 Não vamos nos constranger. Vamos assumir que estamos doentes. Mente e corpo estão sujeitos de igual modo a enfermidades;

👉 Vamos procurar tratamento. Inúmeros profissionais estão aptos a tratar dessas doenças. Muitos deles crentes.

👉 Vamos cuidar da nossa alimentação. A Bíblia diz que nosso corpo é um templo e estou convencida de que o modo como o alimentamos interfere diretamente na nossa saúde mental e espiritual.

👉 Não deixe de buscar a Deus! Mesmo que não faça sentido agora. Mesmo que a única coisa que você tenha a entregar a Ele sejam lágrimas. Somos corpo (matéria), alma (mente) e coração (espírito). Se uma de nossas três constituições adoece e não é tratada, acaba adoecendo as demais. Como ouvi de um profissional, os médicos podem nos ajudar a tratar mente e corpo, mas o espírito somente Cristo pode tratar.

Postagens mais visitadas deste blog

Cordel das irmãs sem sorte

Por Kleidianne Nogueira 


Duas histórias distintas
De irmãs de mesma sina
Duas moças bonitas
Que a vida maltratou

Joana desavisada 
Que tão cedo se casou 
Com seu João Agressildo 
Que a chamava de amor

Já Maria Alegria 
Vivia a se mostrar
Namorava quem queria
Era tanta festa que ia
Que não dá nem pra contar

Um dia sua alegria
Transformou-se em pavor
E Maria, quem diria?
Sumiu com um tal doutor

Vivia tão diferente
Se afastou de tanta gente
Perdeu um dente da frente
E a irmã desconfiou

Acontece que Joana 
Já vivia em confusão
Pois o tal do bom marido
Era só decepção

Logo na lua de Mel
Deu-lhe um chute na canela
Não satisfeito o rapaz
Desdenhou do corpo dela

E entre tapas e gritos
Joana enfim despertou
Daquele inferno maldito
Com coragem se livrou

Foi atrás de seus direitos
Com a polícia retornou
Não deixou que o tapa virasse
Uma agressão que a matasse
Ela mesma se amou

Depois disso então Joana
Quis saber da irmã Maria 
Que histórias escondia
O namoro com o doutor

Descobriu que a irmã vivia
Bem maior desilusão
Que o homem se sentia
D…

Te agradecer

Por Kleidianne Nogueira



Óh, vem fazer morada neste pobre coração
Vem alcançar-me com gratuita salvação
Amor imenso que não mereci

Clamei pelo teu nome quando a escuridão chegou
Em meio à luta minha alma te buscou
E o Deus dos deuses a mim se revelou

Do ar que eu respiro
Ao pão que vou comer
Do nascer do dia
Ao anoitecer
Jesus,
O que eu faço é te agradecer

Sondastes o mal
Que há em meu coração
E ainda assim morrestes
Pelo meu perdão
E tudo o que posso é te agradecer.
Te agradecer.

O Reino das Borboletas Perfeitas

Por Kleidianne Nogueira

Era uma vez, e ainda é, um reino chamado Perfeição, lar da Perfeita, lagarta que tudo cria. A Perfeita era preenchida por um amor perfeito e infinito. Em determinada era, a Lagarta quis dividir esse amor que a preenchia com seres diferentes dela. Assim surgiram as borboletas. Belas, delicadas, capazes de voar livremente, mas atormentadas por um desejo insaciável de serem perfeitas como a Perfeita é.

Para que as borboletas viessem a existir de fato, era necessário que a Perfeita cuspisse pequenos casulos temporariamente sobre a Terra Imperfeita. Esses casulos se abriam ao toque suave de uma brisa vinda da própria Lagarta. Como um presente para que se lembrassem de seu amor por elas durante o exílio, a Perfeita escreveu-lhes uma carta contendo a descrição de si, das borboletas perfeitas e instruções para que encontrassem o caminho do Reino da Perfeição.

A carta ficou extensa e complexa como a perfeição. Por isso, quando a Perfeita estava encerrando sua escrita…